O que se sabe sobre a volta das aulas presenciais no Brasil

Escolas públicas e particulares de todo o país estão fechadas e com as atividades presenciais suspensas desde meados de março devido à pandemia do novo coronavírus.

Não há, até o momento, uma data definida para a reabertura de todas as escolas. Mas a retomada de atividades de comércio e serviços em diferentes estados, como São Paulo e Rio de Janeiro, acendeu o debate sobre a volta das aulas presenciais.

Órgãos como a Fenep (Federação Nacional das Escolas Particulares) e o Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) já têm protocolos com recomendações de medidas de segurança e higiene que devem ser adotados para a volta das atividades nas escolas.

Entre os planos para a retomada estão a adoção de um ensino híbrido, que envolve tanto o ensino presencial como o ensino a distância, e a disponibilização de máscaras e estações de higiene com lavatórios, sabão e álcool em gel.

Principais recomendações para a reabertura das escolas:

  • Retomada gradual e ensino híbrido:  Tanto as escolas públicas quanto as escolas particulares preveem a manutenção do ensino remoto após a volta das atividades presenciais --o chamado ensino híbrido--, como forma de evitar aglomerações nas salas de aula e para atender os alunos que ficarem em casa.
  • Distanciamento social:  organização das salas de aula para que alunos e professores mantenham distância de 1 m² entre si o tempo todo. Cancelamento de atividades em grupo e de saída das salas nos recreios.
  • Estações de higiene:  disponibilização de lavatórios próximos à entrada das escolas e de dispensadores com álcool em gel em pontos de maior circulação; tapetes com solução higienizadora para limpeza dos calçados antes de entrar na escola.
  • Higienização e desinfecção dos espaços:  limpeza frequente dos ambientes e de acessos como maçanetas das portas.

   Compartilhar no Facebook